Vacina 11 de ago, 2022

Vacina contra Coronavirus, testada no Brasil, apresenta resultados satisfatórios

A fábrica de vacinas Bio-Manguinhos, na Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, já começou a se preparar para produzir a vacina contra a Covid-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford, do Reino Unido. A vacina de Oxford está na última fase, a terceira, e determinará se é eficaz em uma escala maior de pessoas. A […]

A fábrica de vacinas Bio-Manguinhos, na Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, já começou a se preparar para produzir a vacina contra a Covid-19, desenvolvida pela Universidade de Oxford, do Reino Unido.

A vacina de Oxford está na última fase, a terceira, e determinará se é eficaz em uma escala maior de pessoas. A universidade inglesa anunciou, na última semana, que as experiências preliminares indicam que a vacina é segura e induziu resposta imune ao corpo dos voluntários.

 

Mulheres lideram pesquisa da vacina

 

Algumas brasileiras se destacam na viabilização do acordo e na coordenação dos estudos da vacina de Oxford contra o Coronavírus.

Na área da ciência, as profissionais femininas ainda ocupam menos cargos de liderança do que os homens. Mas foi uma mulher quem intermediou a parceria entre o Brasil e o Reino Unido para trazer os estudos clínicos do imunizante ao País.

Os três centros de estudo da vacina no Brasil, em São Paulo, no Rio de Janeiro e na Bahia, têm à frente cientistas mulheres, assim como o braço brasileiro do laboratório farmacêutico AstraZeneca, que fez parceria com a Fiocruz para transferir a tecnologia do produto.

Cartão de TODOS

Redator

Cartão de TODOS e os cookies: a gente usa cookies para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Olá! Como podemos ajudar?